}

pesquise aqui

30 de mar de 2010

Dar no primeiro encontro?

Ontem fui beber cerveja com a mulherada do trabalho.
Aqui em BH, segundo o último censo, há 6 mulheres para cada homem, ou seja: após andanças por este mundão, eu finalmente estou no lugar certo, sinto-me um abençoado, um cara que nasceu dentro dessa estatística.
Este post eu dedico ao papo boteco de ontem:
Dedico à fêmea insegura que não sabe se deve ou não,
dar no primeiro encontro. Como já contei aqui, sou sujeito criado por mulheres, entre menstruações, tepeêmes, batons e calcinhas.
Me sinto à vontade em discutir o tema, e aí vai minha opinião:
. Se rolar o tesão na medida para receber aquele pau.
Não dê. Se o cara for um babaca que não pronuncia a palavra clitóris com certa euforia(faça um teste)
. Se o seu sorriso se se abrir involuntário, ao receber um email, ver o número dele no seu cel, ou encontrá-lo na rua por acaso.
Não dê. Se na hora de tirar seu sutiã com 20 mil fechinhos, ele demonstrar impaciência.
. Se você ficar molhada quando ele disser que está linda(e ele vai dizer)
Não dê. Se ele for deselegante com os garçons, se não pagar a sua conta no primeiro jantar/almoço/cinema
. Se você tiver a intuição(convicçao) feminina, que independente do cara te ligar no dia seguinte, independente dele virar seu noivo ou te mandar flores, você vai sair dessa trepada com a alma lavada, com a buceta feliz, com vontade de rir e de chorar.
sempre que estiver a fim de experimentar, de viver, de seduzir. E se isso for uma condição na cabeça do mané para rolar um segundo encontro, o azar vai ser dele, porque você já terá aproveitado.

2 comentários: