}

pesquise aqui

31 de mai de 2012

Sempre ela.

Eu disse assim: "Vamos lá, o que que tem? Eu não tô fazendo nada, você tb..."
Ela disse assim: "Não dá, tô noutra. Não tem mais espaço pra gente..."
Eu respondi: "Ocupamos pouco espaço, me espremo em você. Não quero casar, não quero namorar, não vou atrapalhar sua linda vida. Eu quero você."
Ela retrucou: "Tô feliz, tô na paz. Não quero mais problemas, já os tenho aos montes."
Eu insisti: "Tenho saudade. Faz tanto tempo... E era tão bom. Retrospectiva sem compromisso, por que não?"
Ela insistiu: " Vai viver! Cheio de mulheres no blog, cheio de mulheres na vida, eu não tô fazendo falta. Me deixa..."
Eu sorri.
Eu suspirei.
Eu pensei que enquanto eu viver vou querer de novo, nem que seja só uma vez, nem que seja sem a paixão de anos atrás, nem que seja pra perceber que realmente acabou.
Ela se calou.
Talvez no íntimo, na luz sombria do quarto bonito, tenha pensado que já  foi bom pra caralho, mas que ia resistir fortemente e seguir os padrões, as regras do jogo combinado. Definitivamente não ia seguir o desejo.
O desejo existe, ele grita, ele chama,  mas a gente ficou em silêncio mais uma vez.
Até quando... Ninguém sabe.

28 de mai de 2012

Mariana

Ela tem 36 anos. 3 filhos, 2 ex maridos e uma boca linda.
Ela tem um jeito de professora universitária moderna, um olhar vivo e uma boca linda.
Ela fala rápido e respira entre as palavras para não atropelar os pensamentos e, sabe, ela tem uma boca linda.
Domingo de sol e dia de pedalar em sampa. Eu gosto dos pedais de sampa porque eles não estão acostumados a ir pra rua como em outras cidades, então domingo é dia dessa cidade parecer uma festa.
É bike de tudo quanto é jeito, gente com cara de saudável, capacetes coloridos, pedais, pedais e pedais.
Bonito de se ver.
Mariana disse que iria com as crianças, estava tensa principalmente porque a pequena nunca havia pedalado na rua, coisa de mãe. Mãe com aquela boca linda pode ficar tensa do jeito que for, que eu vou continuar amando. No final do dia, estávamos exaustos e felizes.
Crianças, pedais, São Paulo colorido, céu azul e a boca linda ali, colada em mim.
Minha homenagem a essa mulher incrível e que a gente ainda pedale muito em muitas ciclofaixas por aí.
:-)

24 de mai de 2012

Bibi

Ela tem nome de madame, dessas abreviaturas de coluna social.
Bibi não é nada disso. É quase uma princesa Fiona: grande, desengonçada, desbocada e verde. Bibi é torcedora compulsiva do Palmeiras e se orgulha disso. Eu também me orgulho de uma mulher que curte futebol, fica feliz, xinga, fica triste. Toda mulher que ama futebol é boa de cama. Invariavelmente.
E eu tava doido pra saber se Bibi não fugiria à regra. Fiquei de olho nela, no meio do bar, em pé entre uma cerveja e outra, escalando o time através da TV, mandando o povo calar a boca porque ela queria ouvir a preleção, uma deusa. Eu já gostei muito de futebol, mas hoje eu prefiro usá-lo a meu favor. Observo a reação das pessoas, as emoções, o desespero, o quase infarto. E É bom ser um expectador dessa montanha russa sem ter adrenalina alterada.
Bibi não ficou muito satisfeita com o empate e foi aí que eu me apresentei, conversamos e desempatamos o jogo lá em casa. Ela de calcinha verde e eu feliz fazendo a fotossíntese daquela palmeira de-li-ci-o-sa. Numa noite de eliminação de cariocas na Libertadores, minha homenagem às mulheres que entendem tudo das 4 linhas e das 4 paredes. :)

17 de mai de 2012

andanças

Fui andar. Meu pulmão mandou. Em sampa o frio veio com tudo e meu chefe me deu férias. Disse que eu tava precisando dar umas encaçapadas para voltar inteiro. Não entendi bem a parte das encaçapadas, mas tava sem saco de perguntar.
Dia das mães ensaiei 23 posts, mas confesso que ainda não deu pra falar do tema. É o meu primeiro ano sem ela e ainda tá foda pra mim. Perdoem, eu sou um babacão sentimental.
O que vi nesses dias tá aí embaixo. Tem coisa que a vida mostra e a gente tem mais que recolher nossa insignificância pra debaixo do tapete e admirar.
Boa tarde para todos e para todas.